quarta-feira, 14 de março de 2018

STEPHEN HAWKING MORRE AOS 76 ANOS













Hawking nasceu em 8 de janeiro de 1942, 
exatamente 300 anos após a morte de Galileu, 
e morreu no mesmo dia do 
nascimento de Albert Einstein (14 de março de 1879).

Morreu nesta quarta-feira (14), em sua casa, o físico e 
pesquisador britânico Stephen William Hawking, aos 76 anos. 
A morte foi comunicada por sua família à imprensa inglesa.
"Estamos profundamente tristes pela morte do nosso pai hoje",
 disseram seus filhos Lucy, Robert e Tim. "Era um grande cientista 
e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado viverão
 por muitos anos", afirmaram em um comunicado.
O físico se tornou um dos cientistas mais conhecidos
 do mundo ao abordar temas como a natureza da gravidade 
e a origem do universo. No final da década de 1960, 
ganhou fama com sua teoria da singularidade do 
espaço-tempo, aplicando a lógica dos buracos 
negros a todo o universo. Ele detalharia o tema 
ao público em geral no livro "Uma breve história do tempo", 
best-seller lançado em 1988. Em 2014, sua história 
de vida foi contada no filme “A teoria de tudo”, vencedor de um Oscar.
O físico também se tornou um símbolo de determinação
 por ser portador da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) 
e ter sobrevivido a ela por décadas. 
A doença degenerativa fez com que conseguisse, 
em certo ponto, mover apenas um dedo e
 os olhos voluntariamente. A cadeira de rodas 
e a crescente dificuldade para se comunicar não
 o impediram, no entanto, de seguir sua carreira, 
já que sua capacidade intelectual permaneceu intacta.
(fonte G1)

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

OUÇA ENTREVISTA COM JULIANA CALDAS


(descrição da imagem: Juliana Caldas, em foto de Pino Marcos)

Confira a entrevista da modelo e atriz Juliana Caldas - personagem Estela da novela global "O outro lado do paraíso",  à Márcia Francisco e ao nosso Inclusão e Eficiência Especial - Rádio Inconfidência : CLIQUE  ENTREVISTA JULIANA CALDAS

Palco Hip Hop Danças Urbanas coloca diversidade e acessibilidade em pauta


Quarta edição do festival, que acontece neste fim de semana, traz apresentações artísticas e atividades de formação, como palestras, debates e workshops; evento conta com recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura

Resistente desde 2011, o Palco Hip Hop é hoje um dos maiores e mais importantes festivais dedicados à cultura de rua do Brasil. Em 2018, o Palco retorna com uma programação intensa que, além de apresentações artísticas, traz ainda atividades de formação, como palestras, debates e workshops. Esta é a quarta edição do festival com o tema Danças Urbanas, mantendo sempre o espaço para as demais manifestações e elementos da cultura, como o MC, DJ e o Grafitti. O Palco Hip Hop Danças Urbanas 2018 é viabilizado através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais. O festival tem patrocínio da Oi, Cemig e Caixa Econômica Federal e conta com o apoio cultural do Sesc em Minas, Oi Futuro e apoio institucional do Goethe-Institut. A programação de 3 a 4 de fevereiro integra a programação do Verão Arte Contemporânea.
O evento acontecerá em quatro momentos distintos, dividindo as ações entre a região central e a periferia de BH e duas cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte. A primeira etapa da programação é parte do VAC - Verão Arte Contemporânea e acontecerá nos dias 3 e 4 de fevereiro no Grande Teatro do Sesc Palladium (Rua Rio de Janeiro, 1046- Centro- BH). Haverá programação também no dia 3, na Cafuá - Casa Fusion de Arte (Rua Brasília, 417, Carlos Prates) e na Sede do Grupo Cultura do Guetto (Rua Botelhos, 55A, Bonfim).
Além das várias atrações que representam um recorte importante do atual momento do Hip Hop na capital mineira, o festival reforça o compromisso com a diversidade e a acessibilidade dos vários públicos, a exemplo do debate que traz o tema “Acessibilidade nas danças da Cultura Hip Hop”, que contará com as presenças dos dançarinos, Perninha e Samuka, ambos jovens portadores de necessidades especiais de locomoção e que estão entre os maiores b.boys do país. Reforçando as ações de inclusão, os debates e palestras realizados no Palco Hip Hop contarão com tradução simultânea para Libras. Outro destaque desta edição é a presença de Storm, dançarino alemão considerado um dos maiores b.boys do mundo.

Pratas da casa
A maior parte da programação segue composta pelos talentos locais, jovens MCs, b.boys, b.girls, grafiteiros, grafiteiras e DJs que representam a força e a relevância do hip hop no estado ao longo destas três décadas de construção da cultura de rua por aqui – a cultura surgiu no Bronx em 1973 mas no Brasil as primeiras manifestações datam de 1983. Nomes como Grupo Contraste, NTAG, DJ Sense, DJ Robinho, DJ Pat Manoese, MCs Paula Ituassu, Monge, Ohana, Uai Sound System, DJ Guimyts entre outros, integram as atividades do festival.
Os ingressos custam R$ 2,00 (Inteira) R$1,00 (meia-entrada), venda de ingressos a partir de 12H na bilheteria do Sesc Palladium. Limite máximo de até 1 ingresso por pessoa. Sujeito à lotação.
As demais ações na Casa Fusion de Arte e na Sede do Grupo Cultura do Guetto são gratuitas.


PROGRAMAÇÃO
PALCO HIP HOP DANÇAS URBANAS 2018
03/02 (Sábado) - Sesc Palladium

Show - UAISS
Apresentações de Dança - Grupo Contraste /  ILL - ABILITIES
DJs - DJ Robinho (Seletiva Batalha Livre de Danças Urbanas)  / DJ Guimyts (Seletiva Batalha de Breaking)  / DJ Sense (Cypher)
Mestres de Cerimônia - Paola Bracho / Monge
Seletiva Batalha de Breaking (24 vagas) / Seletiva Batalha Livre de Danças Urbanas (32 vagas)
Jurado Batalha de Breaking - Storm
Jurados Batalha Livre de Danças Urbanas - Mascote, Chriss Portes e Fabgirl
Graffiti - Hisne e Tina
Feira de Marcas Locais - Abertura: 17H
Horário: 20H
Ingressos: 2,00 (Inteira) / 1,00 (Meia-entrada) - 01 ingresso por pessoa
Abertura da Bilheteria: 12H
Atividade com tradução em Libras (Língua Brasileira de Sinais)

Palestra - Acessibilidade nas danças da Cultura Hip Hop com Perninha e Samuka
Mediação - Brisa Marques
Local: Foyer da AV. Augusto de Lima (Sesc Palladium)
Horário: 16H
Entrada franca
Atividade com tradução em Libras (Língua Brasileira de Sinais)

03/02 (Sábado) - Cafuá - Casa Fusion de Arte
Workshop de Popping com Storm (Alemanha)
Horário: 10H
Duração: 01H30
Local: Cafuá - Casa Fusion de Arte
Endereço: Rua Brasília, 417, Carlos Prates
Vagas: 25
*Inscrições por ordem de chegada (senhas distribuídas a partir das 09H)

Workshop de B.Girling com Fabgirl 
Horário: 14H
Duração: 01H30
Local: Cafuá - Casa Fusion de Arte
Endereço: Rua Brasília, 417, Carlos Prates
Vagas: 25
*Inscrições por ordem de chegada (senhas distribuídas a partir das 13H)

04/02 (Domingo) - Sesc Palladium
Show - Paula Ituassu
Apresentações de Dança -  NTAG / Storm (Alemanha) / Lasseindra (França)
DJs - Mano Pim (Finais Batalha Livre de Danças Urbanas) /  DJ Guimyts (Finais Batalha de Breaking) /  DJ Pat Manoese (Cypher)
Mestres de Cerimônia - Paola Bracho / Monge
Finais Batalha de Breaking (8 finalistas) / Finais Batalha Livre de Danças Urbanas (8 finalistas)
Jurado Batalha de Breaking - Storm
Jurados Batalha Livre de Danças Urbanas - Mascote, Chriss Portes e Fabgirl
Graffiti - Tina e Hisne
Feira de Marcas Locais - Abertura: 16H
Horário: 19H
Ingressos: 2,00 (Inteira) / 1,00 (Meia-entrada) - 01 ingresso por pessoa
Abertura da Bilheteria: 12H
Atividade com tradução em Libras (Língua Brasileira de Sinais)

Palestra - As Danças Urbanas pelos palcos do Mundo (Tradução Simultânea)
Palestrante - Storm (Alemanha)
Local: Teatro de Bolso do Sesc Palladium
Horário: 15H
Vagas: 80
Entrada Franca
*Ingressos distribuídos com 30 minutos de antecedência
Atividade com tradução em Libras (Língua Brasileira de Sinais)

04/02 (Domingo) - Sede do Grupo Cultura do Guetto
Workshop de Breaking com Perninha e Samuka
Horário: 10H
Duração: 01H30
Local: Sede do Grupo Cultura do Guetto
Endereço: Rua Botelhos, 55A, Bonfim
Vagas: 25
*Inscrições por ordem de chegada (senhas distribuídas a partir das 09H30)

Workshop de Rocking Dance com Arthur (Spin Force Crew)
Horário: 14H
Duração: 01H30
Local: Sede do Grupo Cultura do Guetto
Endereço: Rua Botelhos, 55A, Bonfim
Vagas: 25
*Inscrições por ordem de chegada (senhas distribuídas a partir das 13H)

04/02 (Domingo) - Cafuá - Casa Fusion de Arte
Workshop de Vogue com Lasseindra (França)
Horário: 14H
Duração: 01H30
Local: Cafuá - Casa Fusion de Arte
Endereço: Rua Brasília, 417, Carlos Prates
Vagas: 25
*Inscrições por ordem de chegada (senhas distribuídas a partir das 13H)

SERVIÇO
Palco Hip Hop Danças Urbanas 2018 (primeira etapa)
Quando: 3 a 4 de fevereiro
Locais e ingressos:
Cafuá - Casa Fusion de Arte - Rua Brasília, 417, Carlos Prates (entrada franca)
Sede do Grupo Cultura do Guetto - Rua Botelhos, 55A, Bonfim  (entrada franca)
Grande Teatro do Sesc Palladium  - Rua Rio de Janeiro, 1046- Centro- BH
Ingressos: R$ 2,00 (Inteira) R$1,00 (meia-entrada)

Vídeo do Festival

Siga o Palco Hip Hop nas redes sociais

INCLUSÃO E EFICIÊNCIA ESPECIAL ENTREVISTA JULIANA CALDAS



(descrição imagem: Juliana Caldas, em fotos de Pino Gomes)

No programa “Inclusão e Eficiência de hoje, às 12h30, vou entrevistar a modelo e atriz Juliana Caldas, personagem Estela, da novela global “O outro lado do paraíso”. 
Não perca! Ela tem muito a nos dizer! 
AM880 ou www.inconfidencia.com.br

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

12º GRITO DE CARNAVAL DA APAE

A Diretoria de Políticas para as Pessoas com Deficiência da Subsecretaria de Direito e Cidadania convida para o 12º Grito de Carnaval Apae Folia 2018. Com o tema "BH 120 ANOS, será realizado um desfile inclusivo pelas Ruas de Santa Tereza ao som da Bateria Apaetucada. Ao final, na dispersão, diversas atrações estão programadas para alegar o sábado no Bairro Santa Tereza. 
03 de fevereiro, de 14h às 19h30.
Ponto de encontro - sede da APAE (Rua Cristal, 78 - Santa Tereza - BH)



BLOCO CARNAVALESCO "TODO MUNDO CABE NO MUNDO" FAZ ULTIMO ENSAIO NO DIA 8!

"Neste bloco ninguém anda, todo mundo voa a 3 metros do chão..."
No dia 08 de fevereiro, às 19h, no o espaço Park Belo 9 Rua Piauí, 647 = Santa Efigênia - BH)  acontecerá o ensaio final do bloco carnavalesco "Todo Mundo Cabe no Mundo". 
Segundo a coordenação é sua última chance de afinar a voz e os instrumentos para o 
grande desfile 2018, que acontece no dia  11, com concentração a partir de 9h, no mesmo local dos ensaios.Participação totalmente livre e gratuita.  Muita música e animação no consagrado bloco que já se descreve como o  mais inclusivo do Brasil!!Leve seu instrumento musical. 


                                          (descrição imagem: arte de Marcelo Xavier, simbolizando o bloco "Todo mundo cabe no mundo")

"O bloco "Todo Mundo Cabe no Mundo" desfilou pelas ruas de Santa Efigênia e do Funcionários, pela primeira vez, em 2016. Mas essa ideia começou antes, em 2012, a partir da iniciativa "Preconceito Zero - Todo Mundo Cabe no Mundo", do artista plástico Marcelo Xavier e de outras pessoas interessadas em tornar o mundo um local mais aberto para o diferente, para os diferentes. O primeiro evento, em agosto desse ano, reuniu centenas de pessoas em uma movimentação artística espontânea na praça Duque de Caxias, em Santa Tereza. O principal símbolo da iniciativa foi uma sombrinha, que deveria ser enfeitada da forma que o dono achasse melhor. 4 anos depois, a ideia enveredou pelo caminho da folia e tomou corpo no bloco, que está aberto para todos que quiserem participar de uma sociedade mais inclusiva. 
CARNAVAL DE TODO MUNDO Nossa ideia de carnaval sempre foi a de afirmação da festa como manifestação folclórica – a maior do país – ou seja, popular, democrática, gratuita e aberta ao livre espaço da rua em que todos os cidadãos se sintam convidados a participar. Por sorte, a cidade optou pelo carnaval com estas características. Parece-nos viver a realização de um sonho. Como cantam os versos de uma das nossas 5 marchinhas (especialmente compostas para o carnaval de BH): “BH, a bela adormecida, que dormia em pleno carnaval, um dia acordou e não sai mais da rua e não quer mais parar de pular, de pular, de pular...” Festa popular sem a inclusão absoluta de todos, que condene parte da população, seja ela qual for, a meros espectadores é um contrassenso. Conhecemos muito bem o grande inimigo do ideal de inclusão social: o preconceito. Sabemos, também, da força de armas como a arte, o folclore, a alegria, o compartilhamento no combate a esse inimigo. O nosso carnaval tem essas armas e é com elas que botamos o nosso bloco na rua: “Todo mundo cabe no mundo” – pela paz, pela diversidade, pela liberdade." (Marcelo Xavier, artista plástico, idealizador do bloco)


Saiba mais: www.facebook.com/events/218568758712465

Oficinas do Festival de Verão da UFMG abordam acessibilidade para surdos

(descrição imagem: atividade em papel, na oficina para surdocegos)

Entre as diversas atividades oferecidas pelo Festival de Verão da UFMG, duas oficinas tratam sobre a acessibilidade. São as seguintes: Criação de material didático para práticas de musicalização para surdo, com o músico Flávio Teixeira, no Conservatório UFMG, e Meios de comunicações utilizados com pessoas surdocegos, com a professora Eliana Ribeiro, no Centro Cultural UFMG. Ambas ocorrem de 5 a 8 de fevereiro. As inscrições já estão abertas, no valor de 20 reais, e podem ser feitas pelo site www.ufmg.br/festivaldeverao, até o dia 4 de fevereiro. No dia 5 fevereiro, interessados também podem fazer inscrições presencialmente para as vagas remanescentes na secretaria do Festival, que vai funcionar no Centro Cultural da UFMG.

A oficina Meios de comunicações utilizados com pessoas surdocegos busca apresentar informações e experiências consistentes e participativas entre pessoas que têm deficiência e não deficientes, abordando tipos de comunicações e toques utilizados com a pessoa surdocego. A professora será Eliane Ribeiro, que é tradutora, intérprete e especialista em deficiências múltiplas. O caso de uma paciente surdocega que se especializou em massoterapia e ainda se tornou capaz de tocar flauta e cantar é um dos que mais impressionaram a professora em sua trajetória profissional. Ela pretende, inclusive, contar com a presença da massoterapeuta durante a oficina. “Assim, os participantes poderão ver, na prática, como é construída a comunicação com os surdocegos”, comenta Eliane.

Já a oficina Criação de material didático para práticas de musicalização para surdos tem como objetivo criar um material didático de musicalização voltado para a comunidade surda, pensando na estrutura lexical, morfológica e semântica própria da língua de sinais brasileira (Libras), abordando o tema de forma acessível para o surdo que tenha vontade de aprender e se desenvolver musicalmente. A atividade é voltada para estudantes e profissionais da música. O ministrante é Flávio Teixeira, músico experimental com ênfase em pesquisas de estruturas musicais para surdos e intérprete de Libras para filhos de pais surdos (CODA).

Mais detalhes sobre cada uma das oficinas e os seus professores podem ser acessadas em: www.ufmg.br/festivaldeverao/oficinas. A atividade Criação de material didático para práticas de musicalização para surdos oferece 12 vagas e Meios de comunicações utilizados com pessoas surdocegos oferece 16 vagas.

Para se inscrever, acesse www.ufmg.br/festivaldeverao/matriculas

Além das oficinas, a 12ª edição do festival promoverá palestras, intervenção, exposição e apresentações artísticas. Essas atividades são gratuitas. A programação completa está disponível em www.ufmg.br/festivaldeverao.

Facebook: www.facebook.com/festivaldeverao
Twitter:@festivalufmg
Instagram: www.instagram.com/festival_ufmg